quinta-feira, agosto 02, 2012

O sistema límbico

Você provavelmente já deve ter ouvido falar do sistema límbico. Muitas publicações leigas já mencionaram este conjunto de núcleos e vias cerebrais. Mas o que é o sistema límbico?

No cérebro, há uma via que compreende várias estruturas, localizadas em sua maior parte na porção mais profunda do cérebro, ao lado dos já descritos núcleos da base (há um tópico para cada núcleo neste blog). 

Esta via, chamada de sistema límbico, compreende:

1. O hipocampo (que tem este nome por sua forma ser semelhante a de um cavalo-marinho, ou hipocampo);
2. A amígdala cerebral (que nada tem a ver com as amígdalas faríngeas, cuja inflamação leva à amigdalite);
3. Os núcleos anteriores do tálamo (falaremos mais sobre o tálamo posteriormente);
4. O septo;
5. O fórnix; e
6. O córtex límbico, uma parte do córtex cerebral. 

Todas estas estruturas serão delineadas de forma superficial aqui, e mais profundamente em tópicos a parte.

Observe abaixo o sistema límbico:

http://www.infoescola.com/wp-content/uploads/2010/10/sistema-limbico.jpg
Observe outra imagem abaixo:

http://amulhereoperineo.files.wordpress.com/2012/01/sistema_limbico1.jpg
O sistema límbico tem como algumas responsabilidades as emoções, motivação, memória e olfato, sendo a via de entrada dos estímulos olfativos (cheiros e odores), o que pontua a relação entre certos odores e aromas e as emoções que sentimos, e que relembramos quando nos expomos àqueles odores que nos marcaram. Quem não lembra de um amor quando sente o perfume que o amado ou a amada costumava usar. Muitas vezes a sensação olfativa nos faz sentir as mesmas sensações passadas, como se elas estivessem ocorrendo agora. Um cheiro pode dar origem a uma taquicardia e sudorese, ou a um medo, anseio, ou a saudades e mesmo felicidade. 

Em sua mais famosa obra "Em Busca do Tempo Perdido", Marcel Proust (veja aqui) relaciona a sua infância ao odor das madeleines, bolinhos, embebidas em chá. 

Mas chega de poesia. Vamos à ciência. 

As estruturas do sistema límbico já foram relacionadas, e serão agora explicadas, uma a uma:

1. O hipocampo:

Esta estrutura é uma parte do lobo temporal, e fica localizada em sua profundidade. Observe abaixo:
http://morphonix.com/software/education/science/brain/game/specimens/images/hippocampus.gif
Observe agora o hipocampo cortado, e compare com a figura logo abaixo:

http://www.benbest.com/science/anatmind/FigVII22.gif
http://radiofreethinker.files.wordpress.com/2011/10/16-0-1.jpg
Nós médicos temos de ter muito senso de humor, e muita criatividade também, de vez em quando. Concordemos que associar esta estrutura cerebral a um cavalo-marinho, ou hipocampo, foi uma bela sacada artística, não é mesmo?

Bem, mas o hipocampo tem muito a ver com a memória, sendo esta a porta de entrada de muitas das memórias que acabam por se solidificar em nossa mente, ou seja, as memória de longo prazo. Fora isso, o hipocampo relaciona-se com emoções, tem um pé nos estímulos olfativos, e é justamente a região cerebral mais envolvida em crises epilépticas ditas parciais, sem perda da consciência. Muitas crises que se originam no hipocampo, mais especificamente em uma estrutura chama de uncus, começam com uma alucinação olfativa, ou seja, o paciente sente um odor desagradável, geralmente de borracha queimada, antes de ter a crise. Chamamos a estas crises de crises uncinadas.

2. A amígdala


Esta é outra amígdala, como já falado. Observe abaixo:

http://2.bp.blogspot.com/-5A4W1rVC_Mw/TVjOf3xMKJI/AAAAAAAAB5A/M-smM_zazsk/s1600/amygdala.jpg
Esta estrutura responsabiliza-se pela motivação, funções sociais e de acasalamento (no caso das pessoas, paixão e amor), e relaciona-se ao sentimento de medo e de recompensa, além do prazer e de outras emoções. Tem relação com o resto do sistema límbico, claro, e com o próprio córtex cerebral, especialmente o córtex límbico, sobre o qual logo falaremos, e o córtex frontal.

3. Os núcleos anteriores do tálamo


O tálamo é o que chamamos de relé, ou seja, todos os estímulos que vêm e que voltam para a periferia do corpo, ou que entram e saem do cérebro, passam por ele. O tálamo é uma estrutura de ligação, de manipulação dos estímulos. Observe abaixo:

https://encrypted-tbn0.google.com/images?q=tbn:ANd9GcQyb09argrh1mq-EbiPlBpJFDbduhN0SBMdETKkRfwlg2IQ5_8F
Observe mais abaixo que o tálamo é segregado em núcleos, cada núcleo podendo ser responsável por um ou mais estímulos. Aqui claro que há diferenciação de neurônios e de vias neuronais. Observe:

http://www.sistemanervoso.com/images/anatomia/cerb_01.jpg
Sim, é complicado mesmo. E ainda não entendemos muito desta pequena estrutura cerebral para saber tudo do que ela é capaz.

4. O septo e o fórnix


O fórnix é uma via de ligação entre o hipocampo e amígdalas com outras estruturas, como os núcleos septais e os corpos mamilares, ou seja, é um trato de conexão, e dos mais importantes.

Observe abaixo:

http://www.auladeanatomia.com/neurologia/fornix.jpg
E mais:

http://www.monografias.com/trabajos52/psicologia-salud/ps30.jpg
Já os núcleos septais são agrupamentos de neurônios que promovem conexões importantes. Localizados juntamente a uma parte do córtex olfatório, relacionam-se com os bulbos olfatórios, o hipocampo, a amígdala, uma outra estrutura da qual falaremos mais tarde chamada de hipotálamo, e que se relaciona, entre outras coisas, com a manutenção da temperatura e homeostase corporal, giro do cíngulo, sobre o qual falaremos mais logo, e o tálamo. Sua função aparenta ser o prazer e a sensação de recompensa, auxiliando na consolidação de memórias.

Observe abaixo:

https://encrypted-tbn1.google.com/images?q=tbn:ANd9GcTALxUCctlK3hy_8R0jOBoaywiNq5exG60Rl-O0TISBpRyebXUjcA
Os núcleos septais estão em amarelo na figura, e se relacionam espacialmente com as outras estruturas discutidas acima.

5. Os corpos mamilares


Estas pequenas estruturas da base do crânio têm este nome (também dado de forma muito criativa) por que se parecem com duas mamas. Observe abaixo, apontados com setas:

http://jswood.files.wordpress.com/2007/11/for-blog-10.jpg
E bota criatividade nisso. Observe abaixo suas relações principais:

http://iupucbio2.iupui.edu/anatomy/images/Chapt15/FG15_12b.jpg
Suas funções são de conexão com a amígdala e o hipocampo, e têm, entre outras funções, responsabilidade com a memória e as funções olfativas. Na síndrome de Wernicke-Korsakoff, descrita também neste blog, a degeneração dos corpos mamilares podem levar a alterações cognitivas (mentais) com problemas severos de memória (incapacidade de registrar e de relacionar novas memórias).

6. O córtex límbico


Várias são as partes do córtex relacionadas ao sistema límbico, perfazendo a conexão entre as estruturas do sistema e conectando o sistema límbico com o restante do cérebro e do córtex, permitindo a associação entre a memória, prazer, medo e recompensa com estímulos visuais, táteis, motores, sensitivos, e outros. Temos o giro parahipocampal, que parece desempenhar função na formação de memória espacial, ou seja, de localização no espaço, o giro do cíngulo, que também têm funções autonômicas, ou seja, regulação da frequência cardíaca, da pressão arterial, além de modulação das funções de atenção e memória, e o giro denteado, que parece contribuir para novas memórias.

Observe abaixo:

Os giros parahipocampal e o giro do cíngulo são demonstrados abaixo:

http://www.inec-usp.org/cursos/curso%20VII/fig_III.jpg
O giro denteado está abaixo:

http://www.sistemanervoso.com/neurofisiologia/14_images/14_clip_image022.jpg
Esta figura complexa acima demonstra o giro denteado com suas conexões dentro do sistema límbico. Não se assuste, e não tente estudar a figura se lhe parecer confusa. É somente para que você saiba o que é o giro denteado.

O sistema límbico portando influencia o sistema endócrino e as funções cardíacas, respiratórias e circulatórias do corpo, relaciona-se com o prazer através de conexões com o núcleo acumbens, centro responsável pelo prazer e que desempenha papel na excitação e na libido, podendo também ser relacionado ao abuso de drogas.

Observe o núcleo acumbens abaixo:

http://t2.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcQ2FIKiFuKH8Z6WwZ0nSWVQqoHplns172Sja6nEaxD8fD_7SzFepRmqcGyW7A
O sistema límbico ainda conecta-se com o córtex pré-frontal (veja na figura acima), a parte mais anterior do cérebro, podendo esta via ser responsabilizada pelo prazer após resolução de problemas e quebra-cabeças, e por certas doenças mentais.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente na minha página do Facebook - Dr Flávio Sekeff Sallem,
Médico Neurologista