sábado, outubro 13, 2012

O tálamo

Imagine uma rede com uma central que recebe informações de todas as regiões do mundo e manda informações para todas as direções, sendo que antes de chegarem à central e antes de serem retransmitidas, estas informações são trabalhadas em uma rede menor, mais sofisticada e compacta, de modo que a informação seja mais bem compreendida. Imaginou? Pois bem, esta rede e esta pequena central existem, e dentro de sua cabeça. Isso mesmo. A rede é o seu sistema nervoso, e cada informação que chega às mais variadas regiões do cérebro, e cada informação que dele sai para os membros e outras partes do corpo, são antes trabalhadas e manipuladas por dois núcleos, um de cada lado, simétricos, chamados de tálamo. 

Tálamo vem do grego, θάλαμος, ou talamos, e significa leito ou câmara interna. O tálamo é formado por agrupamentos de neurônios especializados e suas células de suporte, as células gliais, além de várias conexões entre estes agrupamentos. O tálamo é funcionalmente dividido em porções, várias e muitas vezes variáveis de acordo com cada autor, e cada porção está relacionada a uma função, um conjunto de fibras de substância branca (trato) que entra ou sai do cérebro, e a uma parte diferente do cérebro. 

Observe o tálamo abaixo e sua localização:

http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/f/f1/Thalamus.gif
O tálamo é as duas estruturas avermelhadas acima. 

Observe outra figura, agora mais detalhada:

http://www.medicalartlibrary.com/images/thalamus-hypothalamus.jpg
O tálamo está em vermelho acima, e abaixo dele o hipotálamo, em amarelo, outro agrupamento de neurônios que controlam as funções ditas autonômicas, como regulação da temperatura, frequência cardíaca e pressão arterial, e outras funções (leia mais sobre ele aqui).

O tálamo, como eu disse, é dividido em núcleos. Observe abaixo:

http://science.v-barker.org/wp-content/uploads/2012/07/thalamus.jpg
As divisões, meramente ilustrativas, estão à direita, e à esquerda, a localização, novamente, do tálamo. O núcleo não é dividido bonitinho assim na vida real, e essas figuras são somente para ilustrar e ensinar, mas  não se preocupem em decorar nada. 

Observe um tálamo de verdade abaixo:

http://www.becomehealthynow.com/images/organs/nervous/thalamus.gif
O tálamo está marcado com os números 1 e 5, e o hipotálamo com o número 2. O número 3 é o mesencéfalo, o 4 a ponte, o 6 a comissura anterior (leia mais sobre ela aqui), o 7 o quiasma óptico, ou seja, o local onde os nervos ópticos se cruzam, o 8 os corpos mamilares (leia mais sobre eles aqui e aqui). O número 9 corresponde à pineal, uma glândula que secreta o hormônio do sono, a melatonina. O número 10 corresponde a núcleos que controlam o olhar vertical e parte da audição, os colículos superior e inferior. O número 11 diz respeito a outra comissura, a lâmina terminalis, e o 12 à comunicação entre os ventrículos, o forame de Monro (leia mais sobre os ventrículos aqui).

Aqui vai outra figura, em espanhol:

http://poderdasmaos.com.br/admin/db/artigos/611.jpg


Agora, observe a relação do tálamo com outras partes do cérebro:

http://www.sistemanervoso.com/neurofisiologia/15_images/15_clip_image002_0003.jpg
Nesta figura, cada cor do córtex corresponde grosseiramente a uma parte do tálamo, identificada com a mesma cor. Os nomes de cada região do tálamo estão em português, para os que se interessarem.

A comunicação entre o tálamo e o córtex, e entre o tálamo e os demais núcleos e regiões do cérebro e da medula é feita através de tratos de substância branca, axônios e dendritos de neurônios que sobem e descem pelo cérebro. Observe abaixo:

http://grants.hhp.coe.uh.edu/clayne/6397/Unit5_files/Unit5.3.jpg
Esta é a via sensitiva, que cuida da sensibilidade. As informações aqui vêm da periferia, mãos, pés, pernas, braços, tronco, em termos de sensibilidade térmica, tátil, dolorosa, vibratória e de localização no espaço (propriocepção). Observe que todas as vias passam obrigatoriamente pelo tálamo antes de chegar no córtex.

Olhe mais abaixo:

http://homepage.ntlworld.com/teversal/myweb/CNS/Images/bmot10.gif
As informações de movimento que vêm do córtex, permitindo que nos movamos, também passam antes pelo tálamo antes de chegar à medula, nervos e músculos.

E mais:

http://ars.els-cdn.com/content/image/1-s2.0-S0014483511000340-gr1.jpg
As imagens que vemos passam, antes de chegar ao córtex occipital, lá atrás no cérebro, pelo tálamo (neste caso, por um núcleo de cada lado chamado de núcleo geniculado lateral, em azul claro na figura acima).

Do mesmo modo, as informações que nos chegam aos ouvidos, antes de serem interpretadas no córtex, passam pelo corpo geniculado medial (o número 5 na figura abaixo), uma parte do tálamo, e mesmo as informações de paladas e olfato têm de passar pelo tálamo antes de serem processadas:

http://brainmind.com/images/Auditory5.jpg


Ou seja, você tem um outro computador ainda menor dentro do computador maior, que funciona ajudando seu cérebro a processar as informações que vêm do mundo, e para ele voltam. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Coloque suas perguntas aqui. Mas lembre-se, consultas somente no consultório. Perguntas relativas a sugestões de diagnóstico e tratamento não serão respondidas. Espero que entendam. Obrigado.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.