sexta-feira, abril 22, 2011

Visão dupla (diplopia)

Diplopia ou visão dupla significa exatamente isso: Você acaba vendo duas coisas quando na verdade só há uma coisa ali. Não, você não está vendo coisas ou ficando lelé. Isso pode ser sinal de alguma doença neurológica.

O olho é uma estrutura complexa. É uma esfera presa à órbita por tecidos moles (gordura e vasos/nervos), pelo nervo óptico que sai do olho e vai direto ao cérebro, e que é o responsável por levar as informações do olho para o cérebro (ou seja, é por meio deste nervo que você enxerga) e pelos músculos extra-oculares, músculos que se parecem em estrutura com os outros músculos do corpo, e que movimentam o olho.

Lá vai uma figura do olho (gosto de mostrar figuras, pois acredito que torna o aprendizado mais fácil):

http://www.miracleintheeye.com/images_miracle_eye/eye_muscle_3.jpg

Note o olho na órbita (cavidade óssea abaixo da fronte), e estas estruturas marrom-avermelhadas saindo lá de trás à esquerda e se inserindo no olho são os músculos extra-oculares.

Há os seguintes pares de músculos (há um de cada lado). As funções de cada um serão citadas brevemente:
1. Reto superior - Eleva o olho
2. Reto inferior - Abaixa o olho
3. Reto medial - Leva o olho para perto do nariz
4. Reto lateral - Leva o olho para longe do nariz
5. Oblíquo superior - Abaixa o olho quando ele está próximo ao nariz
6. Oblíquor inferior - Eleva o olho quando ele está próximo ao nariz

Pois bem, lá vai outra imagem destes pequenos músculos:

http://catalog.nucleusinc.com/imagescooked/28509W.jpg

Essa figura é ainda melhor, por que mostra a função dos músculos.
E o que é diplopia? Diplopia é quando um destes músculos não está funcionando direito, ou está funcionando demais. Vamos explicar de outro jeito:

O olho é uma câmera, como uma máquina fotográfica, mas bem melhor que uma máquina. O olho consegue captar várias coisas, mas para que isso ocorra, os dois olhos têm que estar funcionando do mesmo jeito e na mesma direção. A imagem que entra nos olhos cai na retina para ser levada ao cérebro. Retina é a camada do olho que se comunica com o cérebro, e é composta de células nervosas (neurônios) e nervos. Esta é a retina:



Bem, observe que a retina é grande, se extende por grande distância dentro do olho. Então, para a imagem ficar bonita, nítida, ela tem que cair na mesma posição em cada retina, ou seja, o mesmo local da retina de cada lado tem de ver aquela imagem, senão o cérebro vai entender que são duas imagens diferentes, pois uma cai em um lado da retina, e a outra cai em outro lado. Entendeu? Se isso não ocorrer, ou seja, se os olhos ficarem desviados um do outro, ocorre a diplopia.

Muitas crianças nascem com estrabismo, ou seja, são vesgas. Então, por que elas não apresentam diplopia? Por que o cérebro delas aprendeu a ver daquele jeito, foi treinado daquele jeito, e vê o mundo daquele jeito. Mas se um estrabismo se desenvolve na vida adulta, aí é outra história. É como se algo que nunca foi mexido, e sempre foi daquele jeito, de repente sofre uma reviravolta. Claro que tudo será diferente dali em diante.

E quais são as causas de diplopia? São preocupantes?

Bem, podemos citar:
1. Uso de medicações - Remédios para dormir, para alergia, para crises convulsivas, quando usados pela primeira vez ou em doses altas podem causar visão dupla. Mas se você tiver esse sintoma, procure um médico antes de dizer que a culpa é a medicação!
2. Derrames - São a causa mais perigosa de diplopia, e devem ser procurados quando a visão dupla vem com mais alguma coisa, como alterações da fala, fraqueza ou perda de sensibilidade, ou mesmo quando só há a visão dupla mesmo e mais nada.
3. Intoxicações - Algumas substâncias podem causar visão dupla, como arsênico. Infecções como o botulismo podem causar visão dupla. Veneno de cobra coral e cascavel também.
4. Doenças musculares  - A miastenia gravis, da qual falaremos um pouco em tópicos à frente, pode causar visão dupla.
5. Doenças does nervos (neuropatias) - Também podem causar, como a polirradiculoneuropatia aguda (da qual já falamos) ou crônica.
6. Esclerose múltipla - Falaremos desta doença mais tarde também, mas é causa de visão dupla também.
7. Outras doenças mais raras.

Ou seja, teve visão dupla, vá imediatamente a um médico!

17 comentários:

  1. Olá boa tarde, não uso óculos, a não ser para descanso, trabalho o dia todo com computador, e quando estou lendo alguma coisa, minha visão fica duplicada e chega doer a cabeça por conta disso, meus olhos ficam inchados, e não consigo mais ler, se eu quiser enxergar melhor, eu tenho que comprimí-los e deixá-los cerrados. O que poderia ser isso??

    Att.
    Lourdes- Blumenau/SC

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite, Maria de Lourdes. Não posso sugerir diagnósticos sem ver o paciente em consulta. Sugiro fortemente uma avaliação oftalmológica para checar a estrutura interna e os movimentos dos seus olhos.

      Excluir
  2. Olá, desde criança consigo voluntariamente separar as visões que cada olho enxergam até uma certa distancia, que parece ter ficado menor esse limite de "separação" até chegar aos dias atuais. Até pouco tempo achava que era um problema normal de visão, principalmente por caua que uso óculos com um grau alto. (mais ou menos 6 em cada olho).
    Isso é um caso de diplopia?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite. Seria um caso de diplopia voluntária, ao seu comando, sim. Mas aparentemente benigna. Mas somente uma avaliação neuro-oftalmológica para afirmar isso.

      Excluir
    2. Ok, obrigado pela resposta. Acho que não vai ser necessária uma consulta, pois realmente nunca me senti afetado por isso...

      Excluir
  3. Olá, há três semanas sofri um acidente de moto no qual sofri uma fratura de órbita, abaixo do olho, e também fratura do nariz. Foi realizada a cirurgia de reconstrução de face para que meu globo ocular fosse colocado de volta no lugar. Agora, após duas semanas da cirurgia, já consigo abrir metade do meu olho, no entanto, estou apresentando visão duplicada e bastante torta neste olho, e, ao abri-lo, percebo que ele não está alinhado com o olho direito, o qual nada sofreu, sendo que o globo ocular esquerdo encontra-se um pouco mais "baixo". Gostaria de saber se há algum procedimento corretivo, e, quando devo procurar um especialista, o quanto antes, ou devo esperar meu olho se abrir completamente? Grata.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite. Provavelmente, essas alterações devem estar relacionadas, de alguma maneira, à recuperação da fratura. A fratura é recente, e o local fraturado serve como arcabouço para vários músculos que controlam o movimento dos olhos e mantêm o olho alinhado. No entanto, essas queixas precisam ser levadas aos médicos que a operaram para que seja verificada alguma alteração que necessite de correção. Quanto mais rápida a avaliação, melhor.

      Excluir
  4. Boa noite,hoje levei um susto muito grande qdo meu filho de seis anos me falou que as vezes ele vê duas coisas onde só tem uma.Como ele ainda é bem pequeno fiquei muito apreensiva,isso pode ser sinal de alguma doença genética??

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite. É possível. Leve-o a um neuropediatra e a um oftalmologista para uma melhor avaliação.

      Excluir
  5. Tenho 65 anos, saúde exemplar, faço exercícios físicos 4 vezes por semana. Semana passada comecei a apresentar sinais de visão dupla. Consultando um oftalmologista e um neurologista realizei exames (ressonância magnética do crânio, sangue e tomografia de tórax) . Todos esses exames foram negativos não apresentaram nenhuma anormalidade. Foi diagnosticado que apresento quadro de diplopia.
    Essa enfermidade tem cura ou tratamento para minimizar os efeitos da doença?
    Jose Augusto Laus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde, José. Visão dupla (diplopia) não é uma doença, mas um sintoma de alguma doença. Seus médicos devem descobrir o que está causando essa diplopia para, aí sim, tratar a sua causa.

      Excluir
  6. Boa tarde gostei muito do blog, realmente tira muitas dúvidas. Parabéns...
    Há 4 anos minha filha foi diagnosticada com epilepsia. Na época ela tinha 11 meses, e há uma semana comecei a sentir fortes dores de cabeça e visão dupla. O neurologista está investigando epilepsia. Existe possibilidade de eu ter transmitido geneticamente essa doença pra minha filha?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite, Taise. Epilepsia em crianças pode ser causada por uma gama de causas, desde genéticas a fatores do parto, malformações, infecções, ou síndromes sem causa definida. A possibilidade de transmissão genética existe para algumas síndromes bem definidas, e é necessário conhecer você e sua filha, e saber se você tem crises, e se sim se são parecidas às da sua filha, para aproximar-me de alguma conclusão nesse sentido.

      Excluir
  7. Tenho 45 anos descobri a algum tempo que tenho astigmatismo usava óculos e parei de usar , só que agora quando eu olho alguma coisa parece que a minha visão é igual de bêbado enxergo duplicado só quando eu abro bem os olhos parece melhorar essa visão dupla , isso é oque DR.FLAVIO pode ser presbiopia ou não

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia. Diplopia, Antonio, não costuma ser causada pelo envelhecimento normal do sistema visual (presbiopia). Outras causas devem ser procuradas antes de se considerar a presbiopia como causa de visão dupla. Mas astigmatismo pode causar visão dupla de um olho só (monocular), quando você vê dobrado com um olho aberto somente. De qualquer modo, uma boa avaliação neuro-oftalmológica deve ser feita.

      Excluir
  8. Prezado Dr, boa noite.
    Preciso lhe relatar o meu caso.
    Se puder me orientar, lhe agradeço.

    Comecei a ter diplopia (enxergar dobrado e imagens sobrepostas) há mais ou menos 04 anos, com 38 anos de idade.
    No início a diplopia só surgia quando eu ia ao cinema sempre a noite. Ou seja, no início do filme, estava tudo ok. Mas qdo chegava mais ou menos na metade do filme eu já estava vendo tudo dobrado.
    Aí eu utilizava uma das mãos para fechar um olho e terminava de assistir ao filme com um olho apenas.
    Qdo saía da sessão de cinema não conseguia dirigir, pois a diplopia continuava. Então ia dormir e somente no dia seguinte é que eu estava normal novamente.
    Passei um tempo sem me importar com isso, até que comecei a ter diplopia com mais frequência e sempre a noite qdo assistia televisão ou cinema.
    Resolvi procurar um oftalmologista que fez todos os exames possíveis e não descobriu nada pois todos estavam normais. Me encaminhou para um neurologista.
    Nunca usei óculos, até que com uns 31 anos de idade comecei a usar apenas para leitura. Ou seja, nunca tive problemas sérios de visão e sempre enxerguei muito bem de longe.
    A neurologista, além dos exames no consultório, pediu que eu fizesse uma série de exames, do timo, ressonância, hormonais anti-muSk etc, um exame que testa o desempenho dos músculos (eles me deram uns choques) e tudo estava normal.
    Contudo a diplopia continuava. Participei de uma sessão clínica com médicos da UFES - Universidade Federal do ES. Nessa ocasião a Dra fechou o diagnóstico de miastenia ocular.
    Me receitou Mestinon algumas vezes ao dia, não me lembro qtas. Logo que comecei a tomar o medicamento percebi melhoras. Contudo, como o meu grau para perto tinha aumentado fiz um óculos novo, mas não conseguia utilizá-lo, pois se o fizesse a diplopia surgia mais cedo, às 17 horas da tarde, mesmo tomando o remédio.
    Com o tempo as melhoras foram reduzindo. Ou seja, voltei a ter diplopia e comecei a ter visão turva/embaçada (que não tinha antes), meu grau para perto aumentou e surgiu o grau para longe. Isso com 42 anos de idade, minha idade atual.
    OBS.: o oftalmologista, a partir de então, me disse que devo fazer revisões semestrais e não mais anuais, pois estou tendo aumento de grau muito rápido e que ele acha que é por causa da miastenia.
    Voltei na neuro e lhe disse o que estava ocorrendo. Ou seja, que eu não conseguia utilizar o óculos com grau maior, pois surgia a diplopia, que a minha visão estava embaçada e que sempre que olho lateralmente vejo dobrado, seja no lado esquerdo, seja no direito.
    Ela aumentou a dose diária do medicamento. Passei então a tomar 04 comprimidos por dia, antes das refeições.
    Já faz uns 04 meses que estou tomando essa dose.
    Contudo, a visão dobrada nas laterais continua, a visão embasada continua e o aumento do grau tanto para perto como para longe tbm continua.
    Qdo acordo pela manhã enxergo tudo embaçado, problema que antes nunca tive.
    Faço caminhada intercalada com corrida quase todos os dias, durante uma hora. Meus exames são todos normais, inclusive os cardiológicos.
    Gostaria muito de resolver este problema.
    Se for necessário posso sair do meu Estado para fazer novos exames e buscar tratamento mais eficaz, pois isso me incomoda excessivamente.
    A neurologista que me atende é a Dra Vera Lúcia Ferreira Vieira, aqui de Vitória/ES.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia, Raquel. Bem, sua história é longa, e realmente sugere miastenia gravis forma ocular, que é mais benigna que as formas que acometem os membros. A relação com os óculos é incerta, talvez remetendo a um aumento da força necessária para focalizar objetos com o uso de certas lentes, e portanto, maior fatigabilidade ao longo do dia. A conduta da colega está impecável, e acredito que ela está no caminho certo. A colega que a acompanha é excelente, e referência em neurologia no seu estado (a conheço de congressos e de colegas meus de Vitória). Não há muito que eu possa acrescentar em relação ao que já foi feito. Bem, de qualquer modo, deixo-lhe meu email caso seja de interesse - sekeff@hotmail.com.

      Excluir

Coloque suas perguntas aqui. Mas lembre-se, consultas somente no consultório. Perguntas relativas a sugestões de diagnóstico e tratamento não serão respondidas. Espero que entendam. Obrigado.