terça-feira, setembro 13, 2011

O que é disritmia cerebral?

Não é raro um paciente, geralmente mais velho (na faixa dos seus 40 anos ou mais) me falar que quando criança tinha disritmia cerebral. Mas o que é isso?

Disrritmia cerebral é o antigo nome dado para alterações cerebrais vistas no eletroencefalograma (veja aqui), com ou sem crises epilépticas. Muitos destes pacientes que portavam disritmia cerebral tinham (ou têm) crises epilépticas (vá aqui para saber mais). Mas muitos tinham somente alterações benignas (já que muitos pacientes com enxaqueca ou outros tipos de cefaleia podem demonstrar alterações benignas no eletroencefalograma e não terem crises) ou eram diagnosticados com epilepsia sem alterações verdadeiras no eletroencefalograma.

Portanto, disritmia é um termo ultrapassado. Mas você pode usar este termo para falar de sua história anterior de saúde para seu médico entender melhor, mas saiba que já não é usado mais.

3 comentários:

  1. Meu nome é Anderson eu tenho Disritmia cerebral tem cura para esta doença

    ResponderExcluir
  2. Boa noite Dr. Flavio, sou Adriana (47 anos), moro na Itália há mais de 25 anos. Quando criança me diagnosticaram a Disritmia cerebral nao convulsiva (sintomas: simplesmente enquando estava bricando, apagavo, como se me adormentassi, assim conta a minha mae). Tinhas consultas e EGG de controle todos os anos com a assunçao de Comital Simples-L/Gardenal até os meus 10 anos de idades. Depois dos meus 40 anos comecei a ter vàrios sintomas como quando era criança.
    Gostaria informaçoes como poderia explicar aos neurologista aqui na Itàlia esse diagnóstico na infância e se existe uma terapia que nao cause muita sonolência.
    Sao 4 anos que faço exames (EGG, TAC, ecc) sem resultados. Vàrias consultas psiquiaticas que dizem que meu problema é neurológico. Tive muitas consultas neurológicas e assunçao de Gabapentin-Valium, Tegretol-Rivotril, DepakoteER-Rivotril, Depakin Chrono-Rivotril, Depakote-Rivotril, Depakin-Rivotril.
    Último diagnòstico: Desordem do movimento de origem funzional com assunçao de Amitriptilina e em caso de emergência Rivotril. Tudo isso sem melhoras na minha qualidade de vida, fico com menos sintomas mas virei um zumbi.

    ResponderExcluir

Comente na minha página do Facebook - Dr Flávio Sekeff Sallem,
Médico Neurologista